segunda-feira, 16 de agosto de 2010

18 de setembro o Aleph tem encontro marcado com Caim


Em homenagem a José Saramago, falecido no dia 18 de junho do ano corrente, o grupo escolheu a leitura de seu último romance, Caim.


Em Caim, Saramago retoma a problemática literária de toda sua vida, dedicada a questionar as histórias bíblicas, a quem o escritor chama de fábulas. Único autor da língua portuguesa a receber o prêmio Nobel de Literatura, com o seu Evangelho Segundo Jesus Cristo, Saramago chegou a declarar em entrevistas: 


"A Bíblia eu chamaria antes um manual de maus costumes. Não conheço nenhum outro livro em que se mate tanto, em que a crueldade seja norma de comportamento e ato quase natural." 


Nas mãos de José Saramago, Caim, o primogênito de Adão e Eva que matou o irmão Abel, mais parece um personagem da ilha do seriado "Lost". Isso porque, além de cumprir, como na versão bíblica, a condenação do senhor de vagar de modo errante pelo mundo após um monstruoso crime, Caim também viaja no tempo.


O escritor português faz com que o personagem visite várias passagens do Antigo Testamento. Sempre de modo repentino. Sem se dar conta, Caim dorme e acorda em épocas e situações diferentes. (Lembra-me as viagens de Orlando de Virgina Wolf)


Caim expõe o que vê como maldade, injustiça, obsessão pela violência e inverosimilhanças de diferentes ordens em vários momentos.


"Caim é o que nasceu para ver o inenarrável, caim é o que odeia deus".

Um comentário:

Sérgio disse...

Gostei imensamente deste livro. O humor inteligente e questionador de Saramago torna a leitura leve e reflexiva. Leitura imperdível para todos que questionam as "verdades" bíblicas e a moral cristã.